ÚLTIMAS POSTAGENS

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Quando desejos eróticos se tornam motivo de direitos civis é porque a situação está braba.

Imagino que este texto possa causar polêmica, logicamente sem motivo, mas como hoje é politicamente incorreto criticar qualquer movimento ou ong que esteja ligado ao movimento gay... Sigamos em frente.
A questão é o seguinte:

O que representa a palavra homossexualismo (homoerotismo)?
Hoje algumas organizações, trabalhando como polícia do vocabulário politicamente correto, tentam mudar a forma como se falam algumas coisas para que a idéia sobre elas possam ser gradativamente alteradas.

As Palavras homossexualismo e homossexual são o alvo da vez, contudo, é certo que somente a idéia, ou seja, a projeção mental delas será alterada porque o que é real e verdade não se altera pela mera mudança da compreensão ou releitura das palavras.
 Ainda que toda a humanidade decida por unanimidade que as pedras tornem-se, a partir de agora, esponjas, sua matéria não se alterará pela força democrática do voto. A Realidade não é democrática, ela simplesmente é.

Pois bem, agora estamos em meio a uma mudança de significado, como havia dito antes. Estão trocando homossexualismo ou homoerotismo por homoafetividade. Mas analisemos:

Homo = Do Grego homos, quer dizer mesmo ou igual.
Sexual = indica, como já diz o nome, algo de natureza sexual. Neste caso o interesse.

O Homossexual caracteriza-se pelo desejo sexual pelo igual, indicando uma forma de atração sexual do individuo em questão por outro indivíduo do mesmo gênero. Homo indica o mesmo gênero e sexual a forma como se relacionam, ou seja, desejo sexual pelo mesmo gênero.         O mesmo se dá ao homoerótico, ao heterossexual e etc. Cada qual indica seu interesse sexual e seu prefixo aponta a qual gênero destina-se este interesse.

OBS.: Lembro, que o erotismo, diferente do que é propagado, não quer dizer uma coisa pecaminosa ou faz referencia somente a materiais e idéias pornográficas. Erotismo é a palavra, do grego Eros, que simboliza o desejo sexual, o amor eros, e , consequentemente, a expressão do amor através do sexo. O sexo, não é um ato de pecado em si quando praticado de acordo com sua forma biológica e moral estabelecida por Deus.

Então vamos ao centro da polêmica. A palavra “Homoafetivo” que significa o amor (afeto) pelo mesmo gênero , onde um ser tem afeto por outro igual (Homem por homem e mulher por mulher.). Começa a surgir uma enorme campanha que deseja transformar a questão homossexual em homoafetiva. Isso é possível? É fácil chegar a conclusão que Não!
Em resumo, homossexualismo ou homoerótico é o ato ou tendência em prática sexo entre indivíduos do mesmo gênero e homoafetivo é a relação de afeto direcionada ao mesmo gênero. Com esse simples raciocínio é possível entender o homoerotismo, homossexualismo ou homossexualidade como sinônimos de homoafetividade?

Este neologismo tem a intenção de ser um eufemismo que irá amenizar o que realmente é a questão do assunto. Não se trata do amor entre iguais, mas a relação sexual entre estes, pura e simplesmente. Sem o desejo sexo uma relação entre homens ou entre mulheres é apenas uma amizade ou um companheirismo.
Homoafetividade é o que sente qualquer pessoa por qualquer outra do mesmo gênero. É o que eu sinto pelo meu pai, pelo meu irmão, meus sobrinho, cunhado e amigos. É o que sente qualquer mulher por sua amiga, mãe ou irmã.

O afeto entre pessoas do mesmo sexo não pode ser considerado ato gay, somente o pode quando surge o desejo sexual, podendo posteriormente surgir o ato.
Desfazendo este novo mito, podemos entender o porquê é absurda a concessão de direitos civis e políticos embasados no mero desejo sexual de algum grupo.
As Leis como são nas tradições ocidentais, que herdaram o pensamento greco-romano (ao menos em sua maioria), sempre tiveram o intuito de englobar a pessoa humana como um todo, e não apenas alas ou grupos distintos, menos ainda minorias, levando em consideração que vivemos em tradições democráticas onde se segue a norma escolhida pela maioria. A opção ou tendência sexual não pode ser condições determinantes para garantias de direitos civis, Pelo simples fato de que são condições transitórias não fundamentadas em princípios sólidos. A exemplo da condição humana, que não se pode mudar, essa tendências sexuais ocorrem sem muitas explicações, pouquíssimos fundamentos e muitas vezes por mero desvio moral. Logo são exceções, se comparando com o universo das culturas ao longo de toda a história da humanidade, por isso não podem dar direito a regras (Leis).

É fato que não se pode deixar de ser humano (ao menos em tese, pois muitos se esforçam para isso), esta não é uma qualidade transitória, diferente do homossexualismo, onde existem relatos de troca de posicionamentos entre heteros e homos a torto e a direito.
Então, como dar direitos civis globais a grupos que podem passar por metamorfoses, sabendo que elas terão impactos em outras esferas, de muito maior representatividade? E o que é pior, sabendo que mesmo estas minorias já são contempladas nas leis vigentes.

Vemos que leis como estas tem somente dois objetivos:

Primeiro: Um revanchismo sobre aqueles a quem estas militâncias entendem como inimigos, burgueses, detentores do poder e dos meios de produção (Nestes casos o meio de produção da vida). Mentalidade puramente Marxista.

Segundo: A Instabilidade Jurídica.

York Bezmenov (Ex agente da KGB – faça download do vídeo aqui) alertava em uma palestra em 1987 que grupos gays eram utilizados pelos movimentos socialistas como trampolim para a desestabilização da sociedade. Não é a toa que grupos socialistas/marxistas/comunistas dão apoio irrestrito a estes movimentos, quando não são os próprios cabeças.
Querem calar séculos da nossa civilização em favor da alguns anos de militância. Usam a democracia contra a democracia. Usam o direito que tem a expressão para amordaçarem a outros, dizendo que não podem se expressar contra aquilo que acham que é correto. Porque se pode criticar tudo, mas o movimento gay é intocável, blindado?
Se a moda pega realmente e direitos civis forem cedidos a cada grupo que se manifesta embasados em suas preferências o mundo entraria em caos.
Masoquistas, necrófilos, pedófilos, zoófitos, sádicos entre outras expressões eróticas teriam um precedente para pedirem direitos próprios em detrimento do resto da sociedade. Não se poderia dizer mais que a zoofilia, por exemplo, é uma doidêra, Quem poderia abrir a boca contra a pedofilia? E assim ficaríamos a mercê das interpretações de juízes que interfeririam em esferas que não são a deles. E quem me garante que um juiz tendencioso a certo grupo agiria com isenção? Poderão chegar ao ponto, que não me parece tão distante assim, de declarar as relações heterossexuais contra a lei. Manifestar o pensamento hetero já é ilegal.

Assim como ocorre com as leis de cota, Laís de proteção da mulher e outras que subdividem burramente o ser humano, esta é mais uma que tem como objetivo o conflito.
Um exemplo que poucos têm coragem de dar é com relação às leis especiais de proteção a mulher. Como se agredir uma mulher já não fosse crime suficiente para a lei ordinária.  Não são necessárias leis especiais, apenas que se faça cumprir a que já temos.

Lembrando que a Igreja Católica diz sobre os gays:

§2357 CASTIDADE E HOMOSSEXUALIDADE A homossexualidade designa as relações entre homens e mulheres que sentem atração sexual, exclusiva ou predominante, por pessoas do mesmo sexo. A homossexualidade se reveste de formas muito variáveis ao longo dos séculos e das culturas. Sua gênese psíquica continua amplamente inexplicada. Apoiando-se na Sagrada Escritura, que os apresenta como depravações graves, a tradição sempre declarou que "os atos de homossexualidade são intrinsecamente desordenados". São contrários à lei natural. Fecham o ato sexual ao dom da vida. Não procedem de uma complementaridade afetiva e sexual verdadeira. Em caso algum podem ser aprovados.
§2358 Um número não negligenciável de homens e de mulheres apresenta tendências homossexuais profundamente enraizadas. Esta inclinação objetivamente desordenada constitui, para a maioria, uma provação. Devem ser acolhidos com respeito, compaixão e delicadeza. Evitar-se-á para com eles todo sinal de discriminação injusta. Estas pessoas são chamadas a realizar a vontade de Deus em sua vida e, se forem cristãs, a unir ao sacrifício da cruz do Senhor as dificuldades que podem encontrar por causa de sua condição.
§2359 As pessoas homossexuais são chamadas à castidade. Pelas virtudes de autodomínio, educadoras da liberdade interior, às vezes pelo apoio de uma amizade desinteressada, pela oração e pela graça sacramental, podem e devem se aproximar, gradual e resolutamente, da perfeição cristã.

Portanto, até a Igreja se preocupa e tem intenção de cuidar e dar amparo a todos. O que vemos não é uma procura por paz, compreensão, igualdade e todos os clichês que gostas de esbravejar por ai. O Objetivo é uma tentativa de revolução do “proletariado” sobre quem julgam ser a burguesia. Daí a semelhança dos movimentos negros, de mulheres, do aborto, dos indígenas, dos sem terra e etc.

0 comentários:

Postar um comentário

Apostolado Shemá
Seja nosso parceiro. Cole o código em seu blog.

VISITE TAMBÉM