ÚLTIMAS POSTAGENS

quarta-feira, 9 de junho de 2010

ORLANDO FEDELI E O ENCONTRO COM O PAI

São Paulo, 09 de junho de 2010.
Falece o Professor Orlando Fedeli, grande defensor da fé na Igreja do Brasil.

No site da Associação Cultural Montfort está a seguinte noticia.

A Associação Cultural Montfort comunica o falecimento de seu presidente e fundador
Orlando Fedeli
E pede a seus alunos e a todos os que o conheceram orações por sua alma.
Montfort
São Paulo, 09.06.2010
Prof. Orlando Fedeli, assim como Sao Paulo, combateu o bom combate, abriu a cabeça de muitos sobre a verdadeira face da TL e mostrou realmente quem era a CNBB, remou contra maré, contra os Fabios de Melos da vida,Marcelo Rossi, Joaozinho e trupe, sempre com respeito, mas, acima de tudo fiel a Igreja e a sua Doutrina, era polêmico por que nao se curvava perante o governo A ou B, um verdadeiro catolico é isso que podemos definir em uma so palavra. Hoje, ele guarda a carreira e a fé, mais vai para O Pai e lá com certeza receberá a imarcescivel coroa da Glória. A nós que ficamos na terra, resta nao deixar morrer sua obra e com a intercessão dele ajudar na defesa da Fé. Prof. ORLANDO FEDELI, DESCANSE EM PAZ !

8 comentários:

  1. Não tive o prazer de conhece-lo pessoalmente, mas sempre tive contato. Tive algumas cartas respondidas assim que me converti e posteriormente tive um artigo publicado no site do qual o professor e os membros da associação gostaram e disseram que deram muitas risadas. o artigo foi esse:

    http://www.montfort.org.br/index.php?secao=veritas&subsecao=igreja&artigo=corre-modernista&lang=bra

    É um valoroso guerreiro que parte, mas que esta imortalizado em suas obras!

    ResponderExcluir
  2. Dai-lhe, Senhor, o eterno descanso.
    Nos esplendores da Luz perpétua.

    Que descanse em paz!
    Ámen.

    Mater Misericordiae, ora pro eo.

    ResponderExcluir
  3. Realizou um trabalho admirável em defesa da Fé Católica.

    Que o Senhor o guarde.

    Amén.

    ResponderExcluir
  4. Gostgaria de ter peidido a ele desculpas, pelas vezes que eu o chamei de cismático. Orlando Fedeli, um homem de fé, que não será esquecido e terá seu legado continuado. Homem como este fará falta. Suas iniciativas acadêmicas, sua representatividade na área histórica, desmistificando todos os falsos dogmas históricos sobre a Igreja, seu coração de jovem que a tantos conquistou, tantos converteu. Isso não será jamais esquecido.


    Prof. Orlando Fedeli, descanse em paz.

    ResponderExcluir
  5. Embora tenha em seu repertório muitos exageros, talvez pelo seu empenho vigoroso, fez ótimos trabalhos no que trata de doutrina. Acredito que nunca farei nada igual ainda que tente muito.
    Que para Deus tenha mais peso seu acertos e que encontre a misericórdia nos erros.
    Mesmo discordando em alguns pontos, fica a admiração do trabalho levado a sério.
    Oremos por ele a Deus.

    ResponderExcluir
  6. Jefferson,

    Já tinha lido esse texto. Comentei sobre ele várias vezes com os amigos. Fico feliz de ter seu texto publicado no site da Montfort. Realemnte, o debte do Prof. Orlando com esses padres está eternizado, principalmente por aqueles que acompanharam o debate.

    ResponderExcluir
  7. O já saudoso Professor Orlando Fedeli era criticado porque era duro nas suas respostas, batia forte.
    Eu já penso que ela era apenas sincero.
    Já seus inimigos, como é o caso do Padre Joãozinho, bate e depois, se pressionado, assopra?
    Deveria seguir o exemplo de Orlando Fedeli! Bata e deixa que a pessoa reflita.
    O grande Doutor da Igreja, São Jerônimo, ensinava: “Jamais poupei os hereges e empreguei todo o meu zelo em fazer dos inimigos da Igreja meus inimigos pessoais.”
    Por sua vez, São Francisco de Sales, Bispo e Doutor da Igreja,
    determina: “Os inimigos declarados de Deus e da Igreja devem ser difamados tanto quanto se possa, desde que não se falte à verdade, sendo obra de caridade gritar: “Eis o lobo!”, quando está entre o rebanho ou qualquer lugar onde seja encontrado”.
    E que belo lema de Padre Pio de Pietrelcina: “AGRADAR SOMENTE A DEUS, AOS HOMENS FAZER O BEM”.
    A frase do insigne Doutor da Igreja, Santo Agostinho, muito se aplica a personalidade do Professor Orlando Fideli: “Prefiro os que me criticam,porque me corrigem, aos que me adulam,porque me corrompem?”.
    O patrono de todos os Sacerdotes ensina, João Maria Vianney:
    “É necessário trabalhar neste mundo, é necessário combater. Teremos toda a eternidade para descansar.”
    Nas palavras do padre Francisco Carvajal: Quem anuncia a doutrina de Cristo deve acostumar-se a ser impopular em muitas ocasiões, a ir contra a corrente, sem ocultar os aspectos dessa doutrina que se revelem mais exigentes: sentido da mortificação, honradez e honestidade nos negócios e na atividade profissional, generosidade no número de filhos, castidade e pureza na vida conjugal e fora dela, valor da virgindade e do celibato por amor a Cristo… porque não temos outras receitas para curar este mundo doente: “porventura um médico receita remédios inúteis ao seu paciente porque este tem horror àquilo que o poderia curar?”
    São Gregório Magno : “Quem luta pela honra de Deus, tem que suportar ser desonrado pelos maus”.
    Papa Félix: “O erro a que não se oferece resistência acaba aprovado; e a verdade que não se defende fica oprimida”.
    Obediência ou Cumplicidade?
    “Quando o pastor se transforma em lobo, compete primeiramente ao rebanho se defender” (D. Guéranger, L’Anneé Liturgique, na festa de S. Cirilo de Jerusalém).
    “É lícito resistir ao Pontífice que tentasse destruir a Igreja. Digo que é lícito resistir-lhe não fazendo o que ordena e impedindo a execução de sua vontade” (De Romano Pontífice, lib. II, c. 29).São Roberto Belarmino.
    Na mesma esteira ensina o Cardeal Ratzinger, hoje Papa Bento XVI.
    “É possível e até necessário criticar os ensinamentos do Papa, se não estiverem suficientemente baseados na Escritura e no Credo, ou seja, na fé da Igreja Universal” (O Novo Povo de Deus, S. Paulo, Paulinas, 1974, pg. 140).
    O insigne Professor Orlando Fedeli, sempre lutou pela verdade!
    Ele não buscou por algo que acreditasse ser a verdade!
    Ele encontrou a VERDADE e procurou apresentá-la aos demais Católicos, basta comparar seu pensamento, opiniões, sua ortodoxia com a dos Santos Doutores da Igreja, com os infalíveis Concílios de Trento e Vaticano I.
    A morte do Professor Orlando Fedeli não foi uma perda para a Igreja Católica, porque a semente tem que morrer para se tornar árvore e produzir muitos frutos!
    Os modernistas e hereges de plantão devem estar dando “vivas”, como as hordas do inferno fizeram durante o calvário de Jesus Cristo!
    Mas a Montfort não vai acabar com sua morte, ao contrário, suas cinzas vão adubar esta grande e esplêndida árvore.
    O que foi dito pelo Apóstolo dos Gentios também se aplica ao Professor Orlando, baluarte da ortodoxia Católica, com quem tive a honra de trocar muitos e-mails: “Combati o bom combate, terminei a minha carreira, guardei a fé. Resta-me agora receber a coroa da justiça, que o Senhor, justo Juiz, me dará naquele dia, e não somente a mim, mas a todos aqueles que aguardam com amor a sua aparição”. (2Tm 4,7-8)
    Paz em Cristo Jesus e em Sua Mãe Santíssima, porque é somente nEles que a encontramos.
    In Corde Jesu, semper, Hélio de Souza

    ResponderExcluir
  8. O já saudoso Professor Orlando Fedeli era criticado porque era duro nas suas respostas, batia forte.
    Eu já penso que ela era apenas sincero.
    Já seus inimigos, como é o caso do Padre Joãozinho, bate e depois, se pressionado, assopra?
    Deveria seguir o exemplo de Orlando Fedeli! Bata e deixa que a pessoa reflita.
    O grande Doutor da Igreja, São Jerônimo, ensinava: “Jamais poupei os hereges e empreguei todo o meu zelo em fazer dos inimigos da Igreja meus inimigos pessoais.”
    Por sua vez, São Francisco de Sales, Bispo e Doutor da Igreja,
    determina: “Os inimigos declarados de Deus e da Igreja devem ser difamados tanto quanto se possa, desde que não se falte à verdade, sendo obra de caridade gritar: “Eis o lobo!”, quando está entre o rebanho ou qualquer lugar onde seja encontrado”.
    E que belo lema de Padre Pio de Pietrelcina: “AGRADAR SOMENTE A DEUS, AOS HOMENS FAZER O BEM”.
    A frase do insigne Doutor da Igreja, Santo Agostinho, muito se aplica a personalidade do Professor Orlando Fideli: “Prefiro os que me criticam,porque me corrigem, aos que me adulam,porque me corrompem?”.
    O patrono de todos os Sacerdotes ensina, João Maria Vianney:
    “É necessário trabalhar neste mundo, é necessário combater. Teremos toda a eternidade para descansar.”
    Nas palavras do padre Francisco Carvajal: Quem anuncia a doutrina de Cristo deve acostumar-se a ser impopular em muitas ocasiões, a ir contra a corrente, sem ocultar os aspectos dessa doutrina que se revelem mais exigentes: sentido da mortificação, honradez e honestidade nos negócios e na atividade profissional, generosidade no número de filhos, castidade e pureza na vida conjugal e fora dela, valor da virgindade e do celibato por amor a Cristo… porque não temos outras receitas para curar este mundo doente: “porventura um médico receita remédios inúteis ao seu paciente porque este tem horror àquilo que o poderia curar?”
    São Gregório Magno : “Quem luta pela honra de Deus, tem que suportar ser desonrado pelos maus”.
    Papa Félix: “O erro a que não se oferece resistência acaba aprovado; e a verdade que não se defende fica oprimida”.
    Obediência ou Cumplicidade?
    “Quando o pastor se transforma em lobo, compete primeiramente ao rebanho se defender” (D. Guéranger, L’Anneé Liturgique, na festa de S. Cirilo de Jerusalém).
    “É lícito resistir ao Pontífice que tentasse destruir a Igreja. Digo que é lícito resistir-lhe não fazendo o que ordena e impedindo a execução de sua vontade” (De Romano Pontífice, lib. II, c. 29).São Roberto Belarmino.
    Na mesma esteira ensina o Cardeal Ratzinger, hoje Papa Bento XVI.
    “É possível e até necessário criticar os ensinamentos do Papa, se não estiverem suficientemente baseados na Escritura e no Credo, ou seja, na fé da Igreja Universal” (O Novo Povo de Deus, S. Paulo, Paulinas, 1974, pg. 140).
    O insigne Professor Orlando Fedeli, sempre lutou pela verdade!
    Ele não buscou por algo que acreditasse ser a verdade!
    Ele encontrou a VERDADE e procurou apresentá-la aos demais Católicos, basta comparar seu pensamento, opiniões, sua ortodoxia com a dos Santos Doutores da Igreja, com os infalíveis Concílios de Trento e Vaticano I.
    A morte do Professor Orlando Fedeli não foi uma perda para a Igreja Católica, porque a semente tem que morrer para se tornar árvore e produzir muitos frutos!
    Os modernistas e hereges de plantão devem estar dando “vivas”, como as hordas do inferno fizeram durante o calvário de Jesus Cristo!
    Mas a Montfort não vai acabar com sua morte, ao contrário, suas cinzas vão adubar esta grande e esplêndida árvore.
    O que foi dito pelo Apóstolo dos Gentios também se aplica ao Professor Orlando, baluarte da ortodoxia Católica, com quem tive a honra de trocar muitos e-mails: “Combati o bom combate, terminei a minha carreira, guardei a fé. Resta-me agora receber a coroa da justiça, que o Senhor, justo Juiz, me dará naquele dia, e não somente a mim, mas a todos aqueles que aguardam com amor a sua aparição”. (2Tm 4,7-8)
    Paz em Cristo Jesus e em Sua Mãe Santíssima, porque é somente nEles que a encontramos.
    In Corde Jesu, semper, Hélio de Souza

    ResponderExcluir

Apostolado Shemá
Seja nosso parceiro. Cole o código em seu blog.

VISITE TAMBÉM