ÚLTIMAS POSTAGENS

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Carta de uma fiel da FSSPX sobre a entrevista do Luciano



Prezado Junior, Salve Maria Santíssima!

.

Como fiel leiga da FSSPX, não posso deixar de lhe escrever a manifestar o meu descontentamento com a entrevista publicada no seu blog, a um fiel da

Fraternidade, o piedoso e combativo Luciano.

.

Gostaria, se possível, que você me esclarecesse algumas dúvidas.

O meu nome é Teresa, tenho 23 anos, sou portuguesa e vivo em Portugal. Conheci o seu blog através do Sucessão apostólica da minha amiga Ana Maria.

Sou autora dos três blogs colocados abaixo; blogs esses que, se vc der uma vistinha de olhos, não são nada extremistas - um deles é muito criticado por alguns - não todos - católicos mais tradicionais - por citar muitos documentos do magistério actual.

.

Ora bem, as minhas perguntas são as seguintes:

.

1 O Luciano afirma num dos comentários que desconhecia que aquela conversa - de msn - seria uma entrevista. Isso é verdade? Ou melhor, verdade é; mas é exactamente assim como eu estou a descrever? Ou seria necessário matizar alguma coisa?

.

Caso seja verdade, a pessoa que publicou a entrevista sem autorização agiu muito desonestamente.

.

2 Fico tão triste quando os nossos irmãos de fé nos tratam do modo como o tal Guilherme tratou a Fsspx inteira.

.

Eu sou fiel da Fraternidade, se puder só vou a missas da Fraternidade, luto pela fraternidade até ao fim. Mas amo o Papa Bento XVI, faço um esforço muito grande por compreender a vossa posição na crise - embora creia que está errada -, tento aproximar-me de vocês por senso de catolicidade, nunca gostei do sectarismo; por que motivo nos tratam assim? Como estando fora da Igreja, inimigos de Cristo, hereges, cismáticos...

Vocês não se dão conta de que magoam no mais fundo da alma?

Sou católica, submeto-me ao Santo Padre quando ele ensina o que a Igreja sempre ensinou e sou absolutamente obrigada - porque eu n queria - a resistir-lhe quando ensina algo que é contrário à fé. Quem, em sã consciência; qual é o católico digno desse nome que gosta de desobedecer ao Papa? Mas se o ensinamento dele é contrário ao que sempre foi ensinado na Igreja, não me resta outra alternativa, embora com muita dor!

.

Não é justo que, cada vez que tento aproximar-me de outros católicos - vocês, os chamados conservadores -, vocês nos hostilizem, marginalizem e tratem com tanto desrespeito.

.

Eu não me sinto herege, a consciência de nada me acusa. Desobedeço e resisto para me mante fiel à fé de sempre. Por que é que têm de nos hostilizar tanto?

É tão difícil defender a verdade. Não pense que eu gosto de ser humilhada, ridicularizada, chamada de herege. É preciso ter-se muito amor à verdade para resistir a ser colocados de parte, marginalizados por todos.

Eu amo e respeito o Santo Padre, há muitos sacerdotes da Fsspx - veja o exemplo do nosso superior geral Dom Fellay - que amam e respeitam o Papa.

Parem, pelo amor de Deus, de nos chamar inimigos da Igreja e hereges. Eu sei que há muito radicalismo, há alguns extremistas na Fraternidade, mas:

nem são todos, nem são a maioria.

.

Dom Lefebvre foi um grande bispo que, um dia, será colocado nos altares. N foi um sectário, n fundou uma nova igreja, como maldosamente disse aquele guilherme.

.

Muito preconceito e muita malícia.

Parem de olha para nós assim.

.

Eu faço um esforço tão grande por compreender-vos - aos conservadores -, recebo críticas dos mee alguns amigos tradicionais por tentar aproximar-me de vocês, alguns chamam-me ecuménica. Um absurdo, porque todos somos católicos. Por que é que vocês não tentam também fazer um esforço para nos compreender e, sobretudo, para rebater os nossos argumentos?

.

Nós provamos o que dizemos, nós mostramos os erros do Concílio.

E agora eu quero deixar uma coisa muito clara: eu, Teresa Moreno, a título pessoal, não sou contra o Concílio como um todo. Sou contra os seus erros modernistas, que é outra coisa. A letra do Concílio tem erros, sim! Mas eu n sou contra o Concílio como um todo.

.

Bom, creio que já disse tudo o que desejaria.

Subscrevo-me nos corações de Jesus e Maria,

Teresa

.

http://emdefesadelefebvre.blogspot.com

http://vida-espiritual-catolica.blogspot.com

http://a-dignidade-da-mulher-catolica.blogspot.com

[veja neste último, como eu desrespeito o Papa! rsrs]

9 comentários:

  1. Sinceramente...

    Como alguem ainda pode ir contra o CV II...

    Irmazinha, me diga, porque voce acha que a Igreja esta em crise, é a pergunta que não me cala, pergunto humildemente, acha que a Igreja esta no erro?

    E que uma fraternidade sacerdotal esta correta?


    Por favor, me responda!



    Salve Maria!

    ResponderExcluir
  2. Prezado Junior, Laudetur Dominus!

    Sua perplexidade de como podem existir pessoas que são contra o que foi decidido no CVII é incompreensível. Você pode até afirmar, como está presumido na frase que escreveu, que a aceitação do Concílio é apenas uma questão de tempo, pois haveria verdades nele de difícil "digestão". Mas perguntar como pode haver alguém que não veja as coisas dessa forma é quase o mesmo que dizer que ninguém tem esse direito.

    Sua segunda frase me deu a impressão de que você confunde "estar em crise" com "estar no erro". É claro que "a" Igreja não está no erro, devido a assistência prometido por Nosso Senhor. Mas os sinais de que ela está em crise estão aí em toda parte: abusos litúrgicos bem disseminados, padres que não sabem quase nada da Doutrina Cristã, ignorância generalizada dos fiéis, hereges públicos que não sofrem nanhum sanção... E isto para ficar em poucos exemplos. A maioria dos sites sérios que defendem o CVII reconhecem que a Igreja está em crise. Só isso basta para provar que ela existe e é bem evidente.

    Por que uma Fraternidade Sacerdotal não poderia estar correta? Por que eles são minoria?

    Pax et Salutis

    ResponderExcluir
  3. Captare

    Salve Maria!


    Creio que a FSSPX está errada por acusar Roma de Apostasia, os ortodoxos fizeram parecido...

    A Igreja pode até estar enfrentando essas problemas, mas isso não é culpa do CV II como vocês afirmam, a TL detonou a Igreja do Brasil, o modernismo por parte de bispos e padres não fiéis ao verdadeiro CV II causa esses erros!

    O que se tem problema é que há uma livre interpretação do CV II por parte de bispos infiéis.

    Alias, o Santo Padre celebra o Novus Ordus como ele deveria ser celebrado e o vejo mais solene que o Rito Tridentino.

    Não importa o carater pastoral ou dogmático do CV II, sendo ele ordinário ele está sob o sucessor de Pedro e não há nada de errado nisso!


    Pro Catholica Societate

    ResponderExcluir
  4. Concordo com o outro Junior e reafirmo que os modernistas é quem deturpam o CVII e ,baseados nisso, alguns tradicionalistas acusam o CVII de erro.

    Junior, tem que lembrar que o nome dos Juniores não é junior.kk

    ResponderExcluir
  5. Caríssimos no Cristo, Laudetur Dominus!

    Junior Pereira, é verdade! por isso sempre vou usar seu sobrenome para evitar confusões.

    Junior, você acha que a FSSPX está errada só porque a opinião deles é parecida com a dos ortodoxos? Você tem todo o direito de achar que Dom Lefebvre errou ao dizer o que disse, mas se não matizar a declaração dele, vai estar comentendo o mesmo erro do qual você o acusa.

    Você também generaliza e se apressa em julgar ao usar o termo "vocês", como se eu também dissesse que a crise da Igreja é culpa do CVII. Eu não! Vira essa arma pra lá! Nunca disse que o Vaticano II era a causa, pelo contrário, sempre achei que ele foi um sintoma da crise que estava por vir.

    É verdade que foram estes o causadores da decadência eclesial brasileira. Mas se eles se valeram de uma interpretação errada do CVII, como não foi possível em nenhum concílio anterior, é por que algo no próprio Vaticano II permitiu isso. Achar que eles tiraram as interpretações erradas da cartola, por pura mágica é não tratar o problema com a seriedade que ele merece.

    Se você vê o papa mais solene celebrando o Novus Ordo do que o "Vetus Ordo" isto se deve a uma impressão subjetiva só sua. Isto não é argumento.

    E, por último, quando você diz que não importa o caráter dogmático ou pastoral do CVII, você não leva em consideração o ensino Tradicional da Igreja que faz questão de diferenciar os níveis. E se faz deve ter um motivo muito sério, não acha?

    Pax et Salutis

    ResponderExcluir
  6. À Teresa:

    Confesso que fiz uma generalização apressada, baseada nos rad-trads(FSSPX ou não) mais barulhentos da internet.
    Já que você não é xiita como eles, não se veja inclusa nos meus textos.

    Quanto a acusar de heresia, de cisma, de fundar uma nova igreja, é só fogo trocado.
    Se os rad-trads xiitas acusam a nós, católicos fiéis ao Magistério, de sermos hereges modernistas, de abandonarmos a Tradição, acusam o CVII de ter criado uma nova igreja(não mais Igreja Católica, mas Igreja Conciliar), cabe jogar a carapuça de volta para que eles vejam como serve bem na cabeça deles.

    Na verdade, com pessoas como você eu estou muito bem disposto a dialogar e a ter proximidade.
    Inclusive sou leitor do teu blog(o terceiro citado) e não vejo nada de errado nele.
    Se a maioria da FSSPX age como você, a situação não é tão feia quanto os xiitas fazem parecer.

    ResponderExcluir
  7. Eu quis dizer cara irmã, que não importa se é dogmático ou pastoral, sendo que o própio CV II tem documentos dogmáticos.

    A questão é que é válido, estou com o Papa e esta tudo bem, o CV II não tem nada de culpa.

    Só não entendo porque a FSSPX é a unica que não esta em crise, eu ainda fico com o Novus Ordo pois ele é perfeito e sem erro.

    A FSSPX não está em plena comunhão com Roma e eu espero que retorne, acusar Roma de apostasia pra mim é mais do que heresia!

    Deus ilumine todos a verdade!


    Pax

    ResponderExcluir
  8. A infalibilidade da Igreja é absoluta, mas a do Papa ou dos religiosos não - neste caso, pode ser reconhecida se associada a certas condições especiais (e.g., ex-cathedra). Sendo assim, me sinto muito à vontade de, por um lado, reconhecendo a ambiguidade intrínseca ao CVII e ao fato dele não atender àquelas condições de infalibilidade, considerá-lo falível e portanto não estar obrigado à segui-lo. Por outro lado sei que, assim como a traição de Judas teve um propósito no plano de redenção de Jesus Cristo, a ambiguidade do CVII também pode ter um propósito na salvação das almas até o dia do juízo final. Fausto / Jacareí

    ResponderExcluir

Apostolado Shemá
Seja nosso parceiro. Cole o código em seu blog.

VISITE TAMBÉM