ÚLTIMAS POSTAGENS

domingo, 8 de novembro de 2009

Último apelo aos membros da Pastoral da Juventude

Depois da conturbada postagem, apareceram de todo país, vários membros da Pastoral da Juventude, e os questionamentos foram vários.

O Apostolado Shemá não é contra a PJ, muito menos contra a CNBB, e a prova é o das ordens dos superiores eclesiásticos. Não é a primeira vez que debatemos sobre algum tema, ou alguma pastoral, e nunca nos faltou ética para isto.

Gostaria de pedir encarecidamente que, pela fé em Cristo, que une todos os católicos do mundo, que os membros da Pastoral da Juventude sejam fiéis, estejam ligados à doutrina da Igreja, e, de um modo total, se afastem da nefasta Teologia da Libertação. O Brasil hoje é um país que precisa da juventude que “resplandece o rosto de Cristo” (Cf Bento XVI, Discurso aos jovens Católicos), logo, precisamos estar plenamente em Cristo, afim de morrer para o mundo e viver para Cristo, segundo a exortação do Apóstolo.

Quanto à PJ, ela será cada vez mais evangelizadora e transformadora social, quanto mais perto do magistério ela estiver, pois não há como entender de outro modo a exortação do apóstolo. A ação evangelizadora do movimento ou pastoral não está ligado ao seu tamanho, ou ao seu modelo preferencial “pelos pobres”, ou à qualquer critério que desejam colocar, e sim pela sua fidelidade ao Magistério da Igreja.

Cum Petro et sub Petro, Ad Majorem Dei Gloriam


7 comentários:

  1. Tentando se redimir, mas alfinetando do mesmo jeito! Nos deixe me paz! E siga sua vida!!!

    ResponderExcluir
  2. Vão ler a Bíblia Lucas 4,16-20 é lá que está a fundamentação da Teologia da Libertação. Defender o inquisidor de Leonardo off é no mínimo Medieval da parte de vocês. Quanta alienação e falta de conhecimento teológico e das diretrizes do Concício Vaticano II. Vão estudar antes de escrever bobagens.
    Adilson Ferreira

    ResponderExcluir
  3. Herinque Perreiara9 de novembro de 2009 00:43

    E eu ainda perco tempo lendo isso!!! Isto não é questão de estudo, é questão de doença...

    ResponderExcluir
  4. artigos infelizes, é pena, um verdadeiro conhecimento dos ensinamentos de Cristo te demoveri autor. Tente salvar a alma de um homem sem antes encher-lhe o estomago, tente salvar a sua própria alma deixando para trás a solidariedade, a humildade, a caridade, e outras qualidades denotam o amor ao próximo, esse mesmo amor que é base da Teologia da Libertação. Ninguem se salva sozinho, ou você se responsabiliza tbm pelos pecados sociais ou esquece, vai morrer pecando por omissão. Leve sua vida da forma que achar melhor e deixenos em paz em nossa caminhada. Aliás, é a mania que todos tem de se dizer donos definitivos da verdade que levará a igreja ao fim, respeitar a forma de sentir,amar, e seguir a Cristo do irmão é o primeiro passo, se vc puder conviver com isso, nós podemos!
    Boa sorte em seu acerto de contas do Deus.
    Aline Pandorf Mendes

    ResponderExcluir
  5. Concordo: falam tanto de Trento e esquecem do Vaticano II.

    ResponderExcluir
  6. "Por isso, é necessário ajudar os jovens a superarem os obstáculos que reprimem o seu desenvolvimento: o analfabetismo, a ociosidade, a fome, a droga.181 Para afrontar estes desafios, dever-se-á chamar os jovens a serem evangelizadores do seu ambiente. Não há ninguém que o possa fazer melhor que eles. É necessário que a PASTORAL DA JUVENTUDE esteja presente explicitamente na pastoral global das dioceses e das paróquias, de modo a dar aos jovens a ocasião de descobrirem bem depressa o valor do dom de si mesmo, caminho essencial para o desenvolvimento da pessoa." (ECCLESIA IN AFRICA - PARTE V / Por papa João Paulo II)

    ResponderExcluir
  7. "47. Os jovens são uma grande força social e de evangelização. Eles « constituem uma numerosíssima parte da população em muitas nações americanas. No seu encontro com Cristo vivo, se alicerçam as esperanças e expectativas por um futuro de maior comunhão e solidariedade para a Igreja e as sociedades na América ». (179) São evidentes os esforços empregados pelas Igrejas particulares no Continente, para acompanhar os adolescentes no itinerário catequético antes da Confirmação e dos outros apoios que lhes oferecem, a fim de que progridam na aproximação a Cristo e no conhecimento do Evangelho. O itinerário formativo dos jovens deve ser constante e dinâmico, apto para ajudá-los a encontrar seu lugar na Igreja e no mundo. A PASTORAL DA JUVENTUDE, portanto, deve estar entre as preocupações primárias dos Pastores e das comunidades.

    Na verdade, muitos são os jovens americanos que vão em busca de um autêntico significado a dar à própria vida e que vivem sedentos de Deus, faltam porém, com freqüência, as condições adequadas para fazer frutificar suas capacidades e realizar suas aspirações. Infelizmente, a falta de maturidade e de perspectivas para o futuro os leva, às vezes, à marginalização e à violência. A sensação de frustração, que experimentam por tudo isso, não raro os conduz a abandonar a busca de Deus. Diante de uma situação tão complexa, « a Igreja empenha-se em manter sua opção pastoral e missionária pelos jovens, para que possam encontrar hoje a Jesus Cristo vivo ». (180)

    A ação pastoral da Igreja logra alcançar muitos destes adolescentes e jovens, mediante a animação cristã da família, a catequese, as instituições educacionais católicas e a vida comunitária na paróquia. Mas existem muitos outros, especialmente entre os que sofrem várias formas de pobreza, que se situam fora âmbito da atividade eclesial. Devem ser os jovens cristãos, formados numa consciência missionária amadurecida, os apóstolos dos seus coetâneos. Faz falta uma ação pastoral que alcance os jovens nos seus vários ambientes: nos colégios, nas universidades, no mundo do trabalho, nos ambientes rurais, com uma adaptação apropriada à sua sensibilidade. Será também oportuno desenvolver, no âmbito paroquial e diocesano, uma atividade PASTORAL DA JUVENTUDE que leve em conta a evolução do mundo dos jovens, que procure dialogar com eles, que não exclua as ocasiões propícias para encontros mais amplos, que anime as iniciativas locais e valorize o que já se realiza à nível interdiocesano e internacional." (ECCLESIA IN AMERICA - PARTE IV / Por papa João Paulo II)

    ResponderExcluir

Apostolado Shemá
Seja nosso parceiro. Cole o código em seu blog.

VISITE TAMBÉM