ÚLTIMAS POSTAGENS

terça-feira, 3 de novembro de 2009

TEMPO DO ADVENTO

TEMPO DO ADVENTO ( na grafia preta do nome vento, entenda-se branco)

I. História e significado do tempo do advento

@ Origem incerta e escassas notícias sobre ele.

@ Distinção entre elementos relacionados às práticas ascéticas e elementos de caráter propriamente litúrgico:

- advento como tempo de preparação ao natal;
- advento como celebração da vinda gloriosa de Cristo (advento escatológico).

@ É um tempo litúrgico típico do Ocidente.

@ Há notícias do advento desde o séc. IV. Neste século, o advento já caracterizado pela preparação ao natal e como celebração da segunda vinda de Jesus Cristo.

@ Quanto ao significado, alguns optam pelo sentido de preparação ao natal; e outros, pelo sentido escatológico.

@ A reforma litúrgica do Concílio Vaticano II quis conservar os dois significados.

II. A estrutura litúrgica do advento no Missal de Paulo VI

@ O advento consta de quatro domingos (o ambrosiano, de seis).

@ É um tempo praticamente formado de dois períodos:

- do primeiro domingo do advento até 16 de dezembro, dando-se mais ênfase ao aspecto escatológico (vinda gloriosa de Jesus Cristo);
- do dia 17 de dezembro ao dia 24, toda a liturgia se orienta mais diretamente à preparação do natal.

@ O advento é o tempo que traz consigo três figuras relevantes da Sagrada Escritura: o profeta Isaías, João Batista e a Virgem Maria.

Por que Isaías?

* Porque nele, mais do que nos outros profetas, se encontra um eco da grande esperança que confortou o povo eleito durante os séculos duros e decisivos da sua história.

Por que João Batista?

* Sendo o último dos profetas e resumindo na sua pessoa e na sua palavra toda a história anterior no momento em que desemboca no seu cumprimento, ele encarna bem o espírito do advento.

* Ele é o sinal da intervenção de Deus em favor do seu povo.

* Como precursor do Messias, ele tem a missão de preparar os caminhos do Senhor (cf. Is 40,3), de oferecer a Israel o “conhecimento da salvação” (cf. Lc 1,77-78) e, sobretudo, de apontar Cristo já presente no meio do seu povo (cf. Jô 1,29-34).

Por que a Virgem Maria?

* Maria aparece como cooperadora no mistério da redenção.

* A solenidade da Imaculada Conceição faz parte do mistério da Encarnação do Verbo Eterno para a salvação do mundo.

* Maria Imaculada é o modelo da humanidade redimida, o fruto mais excelso da vinda redentora de Cristo. Nela, Deus nos deu, conforme diz o prefácio da solenidade, “as primícias da Igreja, esposa de Cristo sem ruga e sem mancha, resplandecente de beleza”.

III. Teologia do advento

@ O advento traz consigo a dimensão histórico-sacramental da salvação: o Deus do advento é o Deus da história.

@ O advento evidencia a dimensão escatológica: Deus nos reservou para a salvação (cf. 1Ts 5,9), mas trata-se de uma herança que se revelará apenas no fim dos tempos (cf. 1Pd 1,5).

@ O advento recorda o compromisso missionário da Igreja e de todo cristão para o a chegado do Reino de Deus.

IV. Espiritualidade do advento

@ Espera vigilante e jubilosa;
@ Esperança;
@ Conversão.

V. Pastoral do advento

@ A pastoral do advento deve comprometer-se a transmitir os valores e as atitudes que estejam de acordo com a visão escatológica transcendental da vida.

@ O advento deve formar comunidades cristãs e fiéis individualmente que se proponham como sinais alternativos para uma sociedade em que as áreas do desespero parecem mais vastas do que as da fome e do subdesenvolvimento.

@ Mediante uma autêntica tomada de consciência, aumentar e fortalecer o compromisso com a redenção da história e a preparação para o reino dos céus.

@ Vivenciar na Liturgia essas verdades teológicas e construir comunidades que saibam ser a alma do mundo.

Obs.: O colorido representa as cores da coroa do advento, conforme realidade atual.

0 comentários:

Postar um comentário

Apostolado Shemá
Seja nosso parceiro. Cole o código em seu blog.

VISITE TAMBÉM