ÚLTIMAS POSTAGENS

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Carta aberta ao Bispo D. Eduardo

São Paulo, 24 de novembro de 2009

.

Excelência Reverendíssima Dom Eduardo

.

Digmo. Bispo Aux. Campo Grande

.

Resp. Setor Juventude da CNBB

.

Laudetur Jesus Christus

.

Pedindo a benção episcopal de V. Excia. Revma. como leigo e simples fiel, tomo a liberdade de lhe apresentar uma humilde contribuição sobre o panorama da Juventude Católica no Brasil.

.

A juventude e a Tradição da Igreja

.

Grande parte dos Jovens da nossa Igreja, não só da Pastoral da Juventude, desconhecem a riqueza da nossa Igreja, como a Liturgia, a Tradição, a sua gloriosa História, etc. É preciso fazer com que o Jovem seja mais íntimo de toda riqueza espiritual e histórica que nossa Igreja possui, a fim de fazer nascer nele um amor caloroso pela Igreja de Cristo, que no Credo professamos ser Una, Santa, Católica e Apostólica.

.

A juventude e o Santo Sacrifício

.

"Porém, se necessário for, confessemos que nenhuma outra obra pode ser tratada pelos fiéis tão santa e tão divina como este tremendo mistério, através do qual aquela divina hóstia viva, pela qual somos reconciliados com Deus Pai, é imolada diariamente no altar pelos sacerdotes." (Concílio de Trento).

.

Devemos fazer com que a juventude descubra valor da Santa Missa. De acordo com a pesquisa realizada nos DNJ’s deste ano, aparece em primeiro lugar, em relação à preferência dos jovens, as oficinas, em segundo, atrações musicais, e em terceiro, a Santa Missa. É preciso recordar agora as palavras de São Pe. Pio: “O mundo pode viver sem sol, mas jamais sem Santa Missa”. O Jovem precisa estar em oração, e deve colocar a Santa Missa em primeiro lugar, pois esta é a oração perfeita. Aliás, infinitamente mais valioso do que nossas obras é o Sacrifício de Cristo, onde temos a perpetuação do ato salvífico que nos trouxe a graça da redenção.
.
É preciso formar o jovem para que ele possa entender melhor o Santo Sacrifício, a fim de despertar nele o “amor eucarístico”.

.

A juventude e a vivência da fé

.

"Convertei-vos e crede na Boa-Nova" (Mc 1, 15). A norma de salvação é acreditar no Evangelho e ser adepto de Cristo. É preciso que o jovem tenha uma fé plena no Cristo e em sua Igreja, para que com seu testemunho, consiga resplandecer a luz de Cristo, que é luz dos povos, como nos lembra o Concílio Vaticano II. A fé não se mede pela inteligência e não é um sentimento ou uma tradição. A certeza interior na mensagem de Jesus e em suas promessas determina um modo de viver na perspectiva da vida eterna. A Carta aos Hebreus declara: ("A fé é um modo de já possuir aquilo que se espera, é um meio de conhecer realidades que não se vêem." Hb 11,1).

.

A Juventude e a sociedade

A sociedade atual está cada vez mais ligada ao que João Paulo II denominou de "cultura de morte", aborto, mentalidade anti-natalista, feminismo e homossexualismo, violência, imoralidade, materialismo, consumismo, separação de casais, destruição da família como base moral, etc. A juventude precisa estar muito bem conscientizada e formada na fé da Igreja, para viver e pregar valores outrora tão presentes na nossa sociedade, mas que foram desaparecendo nas últimas décadas.

.

Subscrevo em Cristo Jesus, na festa dos Santos André Dung-Lac e Companheiros, rtires.

.

Nilson Pereira dos Santos Júnior

.

Filho indigno da Igreja de Cristo.

9 comentários:

  1. Carta fraca, e ainda supõe uma pesquisa inexistente, abusiva, que pode afetar a credibilidade do Shemá. É impossível definir as condições da juventude em uma simples carta e na visão de apenas uma pessoa. Seria mais proveitoso que você saisse da frente do PC e procurasse participar das assembléias e dos encontros nacionais do setor juventude para obter uma real visão da juventude.

    ResponderExcluir
  2. PFDJ,

    Pesquisa inexistente? Creio que vc não sabe do que fala, aqui está a fonte:
    .
    No DNJ, 34% preferem as Oficinas. Missa e grandes atrações dividem o 2o. lugar com 22% cada.
    .
    http://pjcampinas.org/site/
    .
    Veja, site da PJ de Campinas.

    ResponderExcluir
  3. Prezado Junior, volto a reafirmar e lamentar sobre a irresponsabilidade de certos escritos neste espaço, cujo nome é contraditório ao seu conteúdo.

    Meu querido, de onde você tirou a idéia de atribuir conceito de pesquisa para uma enquete? Senhor da Glória! Será que você não sabe a diferença?

    Transcrevo o absurdo que você escreveu a dom Eduardo:
    "De acordo com a pesquisa realizada nos DNJ’s".

    Meu querido, você afirma que uma pesquisa foi realizada, mas não diz que pesquisa é essa (por favor, o bispo não é vidente), e ainda comete a petulância de afirmar que a suposta pesquisa teria sido realizada em vários locais onde ocorreu o DNJ.

    Nenhuma das suas colocações procedem com a verdade. Não existe tal pesquisa, muito menos teria sido realizada "nos DNJ's".

    Me alegra saber que nos últimos tempos a Pastoral da Juventude tem pautado o blog de vocês.

    Mas é fato que a leitura e a interpretação que vocês transmitem aqui só revelam o quanto desconhecem sobre a caminhada da evangelização da juventude em nossa Igreja.

    Também me alegra saber que você tem visitado os sites da Pastoral da Juventude pelo Brasil.

    Diante deste fato, apresento como sugestão que se deseja tentar um dia ser capaz de interpretar a enquete do site da PJ de Campinas, primeiro conheça o que é DNJ e qual a sua proposta.

    Conheça também a história e o contexto da caminhada da Pastoral da Juventude. Caso contrário, prezado amigo, suas cartas e textos serão reles aglomeração de palavras.

    Paz & Bem, irmão em Cristo!

    ResponderExcluir
  4. _______________________

    Postei um novo capítulo de Legado, onde o Lex Luthor encontra um cristal estranho.

    Lê lá e comenta oq está achando, ok?

    http://palavrasdofeijao.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  5. Caríssimo Gelinton, você disse:

    "Prezado Junior, volto a reafirmar e lamentar sobre a irresponsabilidade de certos escritos neste espaço, cujo nome é contraditório ao seu conteúdo.

    Meu querido, de onde você tirou a idéia de atribuir conceito de pesquisa para uma enquete? Senhor da Glória! Será que você não sabe a diferença?" Por favor, me desculpe, mas esta foi a afirmativa que tive quando indaguei um amigo sobre o caratér desta enquete. O que ela é realmente? Uma simples enquete virtual?

    Transcrevo o absurdo que você escreveu a dom Eduardo:
    "De acordo com a pesquisa realizada nos DNJ’s".


    Passando adiante:
    "Me alegra saber que nos últimos tempos a Pastoral da Juventude tem pautado o blog de vocês.

    Mas é fato que a leitura e a interpretação que vocês transmitem aqui só revelam o quanto desconhecem sobre a caminhada da evangelização da juventude em nossa Igreja."
    .
    Sobre os ad hominem, se torna irrelevante a minha resposta. Mas, sobre o fato do conhecimento sobre a juventude no Brasil, eu conheço não só a PJ, mas os outros diversos movimentos.
    "
    Também me alegra saber que você tem visitado os sites da Pastoral da Juventude pelo Brasil.

    Diante deste fato, apresento como sugestão que se deseja tentar um dia ser capaz de interpretar a enquete do site da PJ de Campinas, primeiro conheça o que é DNJ e qual a sua proposta."
    .
    Acredite, 5 anos de PJ me fizeram conhecer bem suas propostas. Agora, se houve um erro na minha interpretação da enquete, reconheço meu erro. Tentei entrar em contato com o site via email mas não tive resposta.

    "Conheça também a história e o contexto da caminhada da Pastoral da Juventude. Caso contrário, prezado amigo, suas cartas e textos serão reles aglomeração de palavras."
    .
    Se o que eu escrevi não faz parte de um projeto de juventude Católica, não há sobre o que escrever. Todos os aspectos da juventude no Brasil derivam da questão religiosa.

    Paz & Bem, irmão em Cristo!

    ResponderExcluir
  6. Junior, o problema não mora exatamente no que você escreve, mas no como escreve. Reflita sobre isso, ok! Isso explica porque você atribuiu conceito de ad hominem para esclarecimentos. Paciência!

    Agora se realmente deseja construir uma colaboração para a evangelização da juventude, inclua-se no processo. Abandone-se, olhe para o lado e compreenda a grandeza da manifestação do Espírito Santo, não reduza nem confunda as propostas da Pastoral da Juventude às suas experiências pastorais mal sucedidas.

    Paz e Bem!

    ResponderExcluir
  7. ----------------------------A pesquisa foi feita APENAS na Arquidiocese de Campinas. Aqui na Arquidiocese de Maceió não fizemos nada disso. Essa pesquisa feita APENAS na Arquidiocese de Campinas não resume propriamente o que pensa os jovens do Brasil. Saia da frente do PC!

    ResponderExcluir
  8. Paulo,

    Tá mas não foi essa a informação recebida. Mandei vários emails para diversos sites e nenhum me respondeu, somente o Geliton me respondeu,mas não era sobre o tema.
    .
    Mas, de qualquer forma, a pesquisa islutra bem o que eu queria passar ao Bispo.

    Se eles não tinham o que temer pq não responderam?

    ResponderExcluir
  9. Geliton,

    "Junior, o problema não mora exatamente no que você escreve, mas no como escreve. Reflita sobre isso, ok! Isso explica porque você atribuiu conceito de ad hominem para esclarecimentos. Paciência!"
    .
    Pensei que ia dizer que o problema mora na juventude que quer seguir um catolicismo sem regras, desprezando o que a Igreja ensina. Mas o texto sobre a PJ e a TL continua no site da sua Diocese.

    "Agora se realmente deseja construir uma colaboração para a evangelização da juventude, inclua-se no processo. Abandone-se, olhe para o lado e compreenda a grandeza da manifestação do Espírito Santo, não reduza nem confunda as propostas da Pastoral da Juventude às suas experiências pastorais mal sucedidas."
    .
    Já li o marco referencial, já li texto´s de vários sites, já li documentos, já li tanta coisa e ainda não consigo entender como conseguem ignorar o que a Igreja ensina e se prender ao que é herege.

    O que falta pra mim?

    Paz e Bem!

    ResponderExcluir

Apostolado Shemá
Seja nosso parceiro. Cole o código em seu blog.

VISITE TAMBÉM