ÚLTIMAS POSTAGENS

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Os Crimes das Igrejas Protestantes.

Agradeço ao Rodrigo pela contribuição.

Depois da série de publicações sobre a “Inquisição Protestante”, não poderia deixar de postar um artigo que “abrisse os olhos" de alguns que ainda se prendem em alguns "chavões medievais".

As posições de Lutero, contra os anabatistas, causaram a morte de milhares de pessoas... Calvino, pai dos presbiterianos, mandou queimar o espanhol Miguel Servet Grizar (médico descobridor da circulação do sangue); Um só perseguidor protestante, de bruxas na Alemanha, Nichólas Romy, considerado grande especialista e que escreveu um longo tratado sobre bruxaria, teve sobre sua consciência a morte de 900 pessoas.

Benedict Carpzov perdia a compostura contra a bruxaria, que considerava merecedora de torturas três vezes intensificadas com respeito a outros crimes, e cinco vezes punível com pena de morte, luterano fanático, num record, assinou sentença de morte contra 20.000 bruxas. Carpzov, entre outros textos bíblicos (Lv 19,31; 20,6.27; Dt 12,1-5; I Sm 27...), citava também o Êxodo (22,17); "Não deixarás viver a feiticeira".

O protestante Teodoro Bessa, em 1554, pediu o uso da força pública contra os católicos pelo simples ódio da Igreja. A perseguição contra os católicos, na Inglaterra e na Irlanda, foi dominada pela mais escancarada intolerância religiosa... É pena que tudo isso, e mais ainda, caia, tão fácil e comodamente, no "esquecimento" dos protestantes

João Calvino, governou com mão-de-ferro, transformou Genebra numa oligarquia religiosa, proibiu os moradores de praticar hábitos como dançar, jogar, ir ao teatro etc. Durante os quatro primeiros anos de governo houve nada menos, nada mais do que cinqüenta e oito execuções. Segundo Preserved Smith, houve mais casos de vício em Genebra depois da reforma do que antes.

A frase abaixo de Bommberg, indica as linhas gerais dos procedimentos civis e protestantes:

“Um juiz francês (poder civil) alardeava de ter queimado oitocentas mulheres em 16 anos de magistratura. Queimaram-se 600 pessoas, durante a administração de um bispo protestante em Bamberga. A caça as bruxas liderada pelas igrejas protestantes tomaram a Grã-Bretanha e a Alemanha. Na Genebra protestante foram queimadas 500 pessoas no ano 1515. Em Tréveris (quase exclusivamente poder civil) se informou da queima de umas 7.000 pessoas durante um período de vários anos”.

Foram terríveis os genocídios causados pelos protestantes na Alemanha. A então Alemanha estava dividida em mais de trezentas circunscrições, cada uma delas com seu próprio Supremo Tribunal civil e seu Direito particular. A perseguição às bruxas a severidade dos castigos dependiam geralmente dos respectivos senhores de cada região, que governavam com muita independência e poder quase absoluto.

Dentro de cada região, havia oscilações pendulares inclusive extremas, segundo os critérios subjetivos do mesmo senhor e segundo os conceitos das diversas sucessões no poder através dos anos e dos séculos. Daí a dificuldade em se calcular o número de pessoas condenadas à fogueira e à forca na Alemanha. Mas das crônicas e processos regionais que chegaram até nós cabe deduzir que as vítimas se contaram por milhares. Gardner calcula nove milhões. Morrow simplesmente diz que foram milhões.

W. A. Schoeder, contemporâneo aos fatos, anotou que nas localidades de Bamberg e Zeil, entre 1625 e 1630, (cinco anos) se realizaram nada menos que 900 processos de bruxaria. Deles (numa exceção), 236 terminaram com condenação à morte na fogueira. Só num ano, 1617, em Wurzburgo, foram queimadas 300 bruxas; em total nesta região as atas apresentam l.200 condenações à morte.

Em 20 anos, de 1615 à 1635, em Estrasburgo, houve 5.000 queimas de bruxas.
Em cidades pequenas como a imperial Offenburg, que só tinha entre dois e três mil habitantes, se desenvolveram acérrimas perseguições às bruxas durante três decênios, e em só dois anos, segundo as atas, foram queimadas 79 pessoas.(W)

Na Suíça, quando protestante, os casos de condenação de bruxas descritos nas crônicas conservadas chegam a 5.417. Nos Alpes Austríacos, as mortes chegaram ao menos a 5.000

FONTES:

16. Nichólas Romy, Daemonolatriae Libri Tres, Lião, 1595; Colônia, 1596; Frankfurt, 1597.

17. Benedict Carpzov, Practica Nova Rerum Criminalium Imperialis Saxonica in Tres
Partes Divisão, Wittenberg, 1635.

Y. Lea, Materiais..., op. cit., principalmente vol. I, pp. 137ss.;
idem.
"A History Ages", op. cit., principalmente vol. III, pp. 429ss.

19. Hansen, Zauberwahn..., op. cit.; idem, Quellen una Unter-suchungen zur Geschichte des Hexenwahns und des Hexenverfolgwg im Mittelalter, Bonn, 1901.

20. W. Bommberg, The mind of man: the story o f man's conquest o f mental illness, 2a ed., Nova Iorque, Harper, 1959; tradução: mente del hombre, Buenos Aires, 1940.

21. Citado por Calle, La magia..., op. cit., p. 103.

22. Lea, Materiais..., op. cit., vol. I.

23. Gerald B. Gardner, Ursprung und Wirklichkeít der Hexen, Weilheim, 1965, pp. 30s.

24. F. Morrow, no prólogo e Montagne Summers, The history of wttchcraft and
demonology, 2a ed., Nova Iorque, 1956.

25. Citado por Merzbacher, Die Hexenprozesse..., op. cit., p. 43.

12 comentários:

  1. olá, sou protestante, sei que naquelas epocas erraram, cometeram erros, mas quem não os comete?
    Enfim, otimo blog, parabens pelo texto !

    SUCESSO PARA TI

    ResponderExcluir
  2. Organize as citações no próximo texto Junior. ;)

    ResponderExcluir
  3. em fim, eu naum ligo muito pra religião...

    Mais parabens pelo Blog...

    ResponderExcluir
  4. nem ligo presas coisas ai,mas mesmo assim tenha sorte com seu blog

    ResponderExcluir
  5. iMarty Turbo

    Que coisa hein, então, por que comenta?

    ResponderExcluir
  6. Eu gostaria de entender qual é a fonte dessa inclinação das pessoas de ao comentarem nada acrescentarem à discussão. É evidente que sequer leem os textos. E se leem, creio que não entendem. Me parece que a única razão para tal é a vontade de deixar em cada comentário, links para seus blogs, que imagino serem tão superficiais quanto suas postagens.

    Será possível que eles creem na ilusão do sucesso? Um blog que recebe mil visitas por dia poderia ser considerado bem sucedido? Como dissera Chesterton, "que uma coisa seja bem sucedida apenas significa que ela é; um milionário é bem sucedido em ser milionário e um asno é bem sucedido em ser um asno. Qualquer vivente é bem sucedido em viver; qualquer falecido pode ter sido bem sucedido no suicídio."

    O que mais assusta é que geralmente esses que comentam trivialidades, cometem erros horríveis de ortografia. No lugar de criarem blogs, não seria melhor estarem lendo livros, ou uma gramática? Quem sabem possam dizer depois que foram bem sucedidos... pelo menos em escrever.

    ResponderExcluir
  7. Bom, como eu acabei de dizer no msn, o texto éh muito bom só faltou organizar suas ideias melhor, e organizar as citações como o Luiz Fernando disse. Não tenho ainda uma posição clara sobre o assunto, preciso ler mais alguns textos pra não sair falando porcaria.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  10. Gostei muito do artigo! Estou de acordo com o comentáriodo LUIZ F. SAYS sobre a organização,e importante nós leitores entender que as informaçãoes não foram inventadas monstrando de onde elas foram retiradas.É isso ai JUNIOR leia mais e nos de boas informções.Parabéns pelo artigo.

    ResponderExcluir
  11. Juventude Católica3 de outubro de 2009 22:41

    pediu o uso da força pública contra os católicos pelo simples ódio da Igreja. Interessante frase porém já conhecida o Protestante nada mais que um ser que por não conseguiu seguir a Doutrina do Catoliscismo o largou. Vale lembra um história citada por um Bispo que pregou retiro para o Clero da Diocese de Frederico Westphalen:
    - Certa vez me procurou um pastor de uma certa religião (seita)e peidui que eu batizasse seu filho, questionei o pq do batismo ocorrer no Catoliscismo se ele mes possuia uma igreja eis o que ele me respondeu:
    -o catoliscismo é minha Fé a minha igreja é apenas meu amobiente de trabalho

    ResponderExcluir

Apostolado Shemá
Seja nosso parceiro. Cole o código em seu blog.

VISITE TAMBÉM