ÚLTIMAS POSTAGENS

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Aquecimento Global. Pura farsa. Ultima Parte.




Este texto, como já deixei claro, não tem o intuito de converter todos os pensamentos da humanidade em um total descrédito aos problema relacionados ao meio-ambiente. Os problemas existem sim, mas não são inreversíveis, apocalípiticos ou cataclísmicos, como querem fazer acreditar algumas entidades ativistas pro-terra anti-seres humanos.

Não podemos, quanto seres dominantes (isso é um fato) nos minimizarmos desta forma. Alguns afirmam que é questionável a ideia de que o ser humano é o ser dominante na terra. No entanto esses são os mesmos (geralmente) que afirmam que é o ser humano o responsável pelos problemas climáticos globais. Hora, isso é um tento quanto contraditório. Como poderia o homem ser tão responsável e ao mesmo tempo não ser tão importante?

Pois essa ideia quer implantar em nosso pensamento que uma terra sem seres humanos, ou pelo menos com seres humanos "selecionados" (o que não difere muito da ideia de Hitler e outros modelos totalitários) seria muito mais funcional e correta.


Nesta linha de pensamento Feder adverte:


Embora muitos alarmistas do aquecimento global se contentem apenas em repelir a revolução industrial, e outros favoreçam o fim da civilização por meio de uma redução gradual da população (a nível mundial, os índices de fertilidade caíram em 50% no século passado, mas eles continuam com sua propaganda de uma explosão populacional), outros são mais ambiciosos.

O ódio para com a humanidade sempre esteve por trás da agenda da esquerda. Os filósofos do Iluinismo odiavam a humanidade porque nossa natureza não queria se adaptar às idéias utópicas deles.

Os marxistas nos odiavam porque éramos animais egoístas que estupidamente se recusavam a adotar o socialismo científico. Ah, o mau uso da ciência.

Uma geração anterior de ecologistas nos odiava por poluir, por saquear as florestas virgens com arranhacéus e shopping centers, por não permitir que eles contemplassem a natureza original de suas casas de férias.

Os ativistas de direitos dos animais nos odeiam por dominar outras espécies

E os alarmistas do aquecimento global nos odeiam por ter filhos, por não dirigir carros híbridos, por destruir a camada de ozônio com emissões de C02, por tornar a vida de pingüins e ursos polares miseráveis e de acordo com o cenário de pesadelo que eles pintam - por acabar fazendo a Terra inabitável.

Daí, a conclusão inevitável: O mundo ficaria melhor se todos nós estivéssemos mortos.

"Considerando o desaparecimento total e absoluto do homo sapiens, então não só a comunidade de vida da Terra continuaria a existir, mas com toda a probabilidade, seu bem estar melhoraria. Em resumo: nossa presença não é necessária", comenta Paul Taylor em "Respeito pela Natureza, uma Teoria de Ética Ambiental".

"Não temos problemas em princípio com seres humanos reduzindo seus números matando uns aos outros. É um excelente jeito de extinguir os seres humanos", disse uma criatura porta-voz da Frente de Liberação Gaia.

"Os seres humanos, como espécie, não são mais valiosos do que uma lesma", declarou john Davis, editor da revista Earth First (Em Primeiro Lugar, a Terra).

No livro "O Mundo Sem Nós", Alan Weisman celebra o que ele vê como a extinção inevitável da humanidade, à medida que as florestas e os animais selvagens reivindicam nossas cidades.

Há até um Movimento Voluntário da Extinção Humana (MVEH), que se descreve como "a alternativa humanitária aos desastres humanos". O MVEH explica que "a alternativa promissora para a extinção de milhões de espécies de plantas e animais é a extinção voluntária de uma espécie! Homo sapiens... nós".


Percebe-se aqui as intenções e a soluções propostas por essa mentalidade. Quem se habilita em tirar sua própria vida para ajudar na causa da terra?

Don Feder Conclui que embora haja extremistas e amenos na situação deste terrorismo velado, o resultado final de ambos é um só, a morte de boa parte da população mundial. E afirma:

Mas em vez de terem a decência de simplesmente se matarem (Feder refere-se ao ativistas e principalmente ao MVEH), eles sentem necessidade de deixar uma mensagem - como as pobres caras insociáveis que foram a um shopping center com um rifle para ver quantos inocentes eles poderiam levar junto com eles.

Se você vir AI Gore num shopping center com o que parecer um rifle corra.


Feder trata essa ultima parte com um bom humor sarcástico, mas esta situação é bem séria. Acusam o ser humano de ser como praga. Como afirmou o agente Smith em MATRIX, (Pra quem viu. E pode acrescenta essa cena como mais uma para a coleção de mídias que nos empurram essa ideia perniciosas garganta abaixo.), o ser humano se enquadraria como vírus e não mamífero, pois consome todos os recursos de uma área e se transfere para outra. Seria mesmo verdade? Como explicar a residência fixa do homem durante séculos, deixando de ser andarilho e estabelecendo raízes (Países, reinos e etc.)


Leia abaixo uma matéria publicada no Jornal Correio do Povo?

Matéria Publicada no jornal Correio do Povo (retirada do Site Instituto Liberdade)

"O mundo esteve na Polônia para discutir o aquecimento global. Como fez em Ba/i e fará no futuro na Dinamarca. Os resultados, nenhuma surpresa, pífios. Discute-se muito. Acorda-se pouco. AI Gore esteve lá. Festa, como sempre, para o profeta do apocalipse climático.

Gore, que no seu filme prevê cidades inundadas pela elevação do mar, certamente, não ouviu os números divulgados há poucos dias pela Universidade do Colorado que mostraram uma diminuição nos níveis dos oceanos desde 2005.

Os dados dos últimos 15 anos revelam uma elevação, em média, de ridículos 0,4 milímetro / ano. Experimente calcular quantos anos são necessários com esta média para ser alcançada a previsão de Gore de oceanos seis metros mais altos neste século.

A conferência ocorreu na mesma semana que o Met Office, a Meteorologia da Inglaterra, anunciou que 2008

será o ano mais frio da década no mundo e que o começo deste inverno 2008/2009 está sendo o mais frio em 30 anos no país.

A conferência se deu ainda enquanto Houston e Nova Orleans, na terra de Gore, registravam a neve mais cedo no inverno até hoje observada nestas cidades.

Proteção ambiental é crucial, caro leitor, mas não fundada em catastrofismo.

Se você acredita cegamente no aquecimento global, ao menos pare e pense nestas informações.

Fonte: www.heitordepaola.com, Mídia Sem Máscaras, Instituto liberdade, Metsul.

5 comentários:

  1. Muito bom texto viu!

    http://cemiteriodaspalavrasperdidas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. muito grande
    nao li o post !

    melhor do que dar calote aushauhs

    ResponderExcluir
  3. ahahaha
    resumindo... todos odeiam todos. e se todos morressem realmente resolveria. Mas poxa seria tão sem graça... eu quase tive um treco qnd axei q o mundo ia acabar dia 14 de outubro O:

    ResponderExcluir
  4. é preciso cuidar agora no presente, para poder aproveitar no futuro. temos que ser mais conscientes com nossas atitudes para o meio ambiente

    ResponderExcluir
  5. Sim, é preciso cuidadar do meio ambiente sim, mas fazemos parte dele e não devemos nos anular em favor do meio ambiente. Temos capacidade suficiente de protege-lo protegendo-nos.

    ResponderExcluir

Apostolado Shemá
Seja nosso parceiro. Cole o código em seu blog.

VISITE TAMBÉM