ÚLTIMAS POSTAGENS

sexta-feira, 10 de julho de 2009

APRENDENDO COM O DIREITO DA IGREJA

Papa (Romano Pontífice): O Bispo da Igreja de Roma, no qual perdura o múnus concedido pelo Senhor singularmente a Pedro, primeiro dos Apóstolos, para ser transmitido aos seus sucessores. É a cabeça do Colégio dos Bispos, Vigário de Cristo e aqui na terra Pastor da Igreja universal. Em virtude de seu múnus, tem ele, na Igreja, o poder ordinário supremo, pleno, imediato e universal, que pode sempre exercer livremente (Cân. 331).

Fiéis: São os que, incorporados a Cristo pelo batismo, foram constituídos como povo de Deus e assim, chamados a exercer, segundo a condição própria de cada um, a missão que Deus confiou para a Igreja cumprir no mundo. (Cân. 204).

Clérigos: Por instituição divina, entre os fiéis, há na Igreja os ministros sagrados, que no direito são também chamados clérigos. Só homens, na atual legislação eclesiástica, são admitidos a este estado.
Os outros fiéis são denominados leigos e leigas, constituindo o laicato da Igreja.

Presbíteros – Clérigos que receberam a ordem do presbiterato, que os torna sacerdotes (padres ).

Vigário Geral: Em cada diocese deve ser constituído pelo Bispo diocesano o Vigário geral que, com poder ordinário, não próprio, mas vicário, o ajude no governo de toda a diocese. (Cân. 475).

Vigário Episcopal: Sempre que o bom governo da diocese o exigir, podem ser constituídos pelo Bispo diocesano um ou mais Vigários episcopais que tenham, em determinada parte da diocese, ou em determinada espécie de questões, ou quanto aos fiéis de determinado rito ou de certa classe de pessoas, o mesmo poder ordinário que compete ao Vigário geral por direito universal. (Cân. 476).

Bispo: Clérigo a quem está entregue o cuidado de uma diocese; é chamado de diocesano, ou ordinário. Os demais bispos chamam-se titulares (Cân. 376). O Bispo é o Pastor da Diocese que, na expressão litúrgica, dirige-a a partir da Sé Catedral, onde está a sua sede, de onde ele fala ao seu rebanho. Pelo mandato de Cristo ele é o mestre autêntico da pregação da fé, o teólogo da Diocese. É também na Sé que está o principal altar onde ele oferece dons e sacrifícios a Deus pelos que foram confiados ao seu pastoreio. Os Bispos que, por divina instituição, sucedem aos Apóstolos, são constituídos, pelo Espírito que lhes foi conferido, pastores na Igreja, a fim de serem também eles mestres da doutrina, sacerdotes do culto sagrado e ministros do governo. Pela própria consagração episcopal, recebem, juntamente com o múnus de santificar, também o múnus de ensinar e de governar, os quais, porém, por sua natureza não podem ser exercidos, a não ser em comunhão hierárquica com a cabeça (Papa) e com os membros do Colégio de Cardeais (Cân. 375). Compete ao Bispo diocesano governar a Igreja particular (Diocese) que lhe é confiada, com poder legislativo, executivo e judiciário, de acordo com o direito (Cân. 391). O Bispo mesmo exerce o poder legislativo; exerce o poder executivo pessoalmente ou por meio dos Vigários gerais ou episcopais, de acordo com o direito; exerce o poder judiciário pessoalmente ou por meio do Vigário judicial e dos juizes, de acordo com o direito (Cân. 8).

O Sumo Pontífice nomeia os Bispos livremente, ou confirma os que foram legitimamente eleitos (Cân. 377).

Bispo Coadjutor / Auxiliar: Quando as necessidades pastorais da diocese o aconselharem, são constituídos um ou vários Bispos auxiliares, a pedido do Bispo diocesano. Pode a Santa Sé constituir de ofício um Bispo coadjutor, também com faculdades especiais. O Bispo coadjutor tem direito de sucessão (Cân. 403); o Bispo auxiliar não tem direito de sucessão.

Metropolita: o Arcebispo que assume uma arquidiocese à qual está anexo o ofício de presidir a uma província eclesiástica (na área, várias dioceses tidas como sufragâneas).

Administrador Diocesano: É aquele que rege temporariamente uma diocese. É eleito pelo Colégio de Consultores e tem as obrigações e o poder do bispo diocesano.

Legado (Núncio Apostólico): Clérigo a quem é confiado o encargo de representar estavelmente o Romano Pontífice, junto às Igrejas particulares ou também junto aos Estados e Autoridades públicas, aos quais são enviados. (Cân. 363).

Conselho Presbiteral - Formado “por um grupo de Sacerdotes que, representando todo o Presbitério da Diocese, seja como o Senado do Bispo, cabendo-lhe, de acordo com o direito, ajudar o Bispo no governo da Diocese, a fim de se promover ao máximo o bem pastoral da porção do Povo de Deus que lhe foi confiada” (cân. 495, §1).

Colégio dos Consultores – Obrigatório em todas as dioceses católicas. é constituído por presbíteros, em número não inferior a seis e não superior a doze, livremente escolhidos pelo bispo diocesano entre os membros do conselho presbiteral. Sua função é auxiliar o bispo diocesano no governo da diocese com seu conselho e, às vezes, com seu consentimento, segundo as normas determinadas pelo direito canônico. “Sede vacante” – Quando a Diocese/Arquidiocese perde (por morte, renúncia ou transferência) o seu (Arce)bispo diocesano; por conseqüência, cessou também o poder ordinário do Vigário Geral e dos Vigários Episcopais os quais, com o Bispo, tinham poder ordinário, embora de forma vicária; cessam também as atribuições do Conselho Presbiteral as quais são agora da competência do Colégio de Consultores. Cúria – (arqui)diocesana, romana ou papal – Conjunto de organismos e pessoas que ajudam o (arce) bispo, ou o Papa, no governo de toda a diocese, ou de toda a igreja. A nomeação dos que exercem ofícios na cúria compete ao (arce) bispo diocesano, ou ao Papa, conforme o caso.

4 comentários:

  1. eu estudei isso mt tempo atrás, mas é dificl decorar essa hierarquia toda!e alias, a grande maioria dos fieis só conhece duas ou três de todas as classes

    ResponderExcluir
  2. Acho que não vejo o Vaticano com bons olhos, me parecem mafiosos O.O

    ResponderExcluir
  3. rarara. Gúh! Isso é por causa de várias reportagens que fazem questão de passar essa imagen.

    ResponderExcluir
  4. Sei lá.. não tenho muito uma opinião formada sobre a igreja. Cometerem alguns erros, sim, mas somos humanos, todos cometem erros as vezes, não? Também nunca decorei muito essas coisas..

    ResponderExcluir

Apostolado Shemá
Seja nosso parceiro. Cole o código em seu blog.

VISITE TAMBÉM