ÚLTIMAS POSTAGENS

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Liberdade, Felicidade e escolhas




É notável como o homem de hoje exibe uma enorme dificuldade de fazer escolhas e assumir compromissos. Acredito que todos nós tenhamos experimentado esta dificuldade ao menos uma vez, mas o problema é quando ela se faz uma constante em nossas vidas.
Claro que as escolhas, ainda mais as de relativa importância, nos apresentam uma barreira a ser ultrapassada, pois por vezes, devemos mirar apenas uma em detrimento das outras. Assim acontece com diversos campos da vida. Nos estudos, casamento, atitudes e etc.
Sempre existe a possibilidade de erro, ao fazer uma escolha desta, e por tal possibilidade essas escolhas devem ser profundamente pensadas e planejadas. Mas o que vemos hoje é o oposto.
Nós apresentamos uma enorme dificuldade em escolher um só caminho. E como crianças, ficamos ainda mais embaralhados quando temos diversas possibilidades. A confusão é tanta, que muitas vezes desejamos não ter tantas escolhas, para que seja mais fácil decidir (Desejo que decidam por mim), outras vezes preferimos não pensar nas escolhas que tomamos, e fazemos acordos com outros ou com nós mesmos de que se não der certo abandonamos esta escolha e partimos para outra.

Nisso percebemos o quanto temos dificuldades de conduzir até o fim as nossas escolhas e compromisso.
O trabalho escolar que não entregamos, o livro que não terminamos de ler, os divórcios, o abandono da faculdade (quando não ocorre por falta de "grana").

É lógico que algumas vezes fizemos realmente escolhas erradas e devemos recomeçar, mas na maioria das vezes simplesmente abandonamos tudo por conta de uma dificuldade.
Largamos o trabalho escolar porque esta difícil encontrar as fontes de pesquisa, largamos o livro porque esta muito chato ou é demasiado grande, nos divorciamos porque não queremos enfrentar os problemas de relacionamento encontrados ou desenvolvidos com o tempo, abandonamos a faculdade porque estamos com dificuldade em algumas matérias ou arrefeceu-se a empolgação inicial. Não queremos ter a paciência necessária, o empenho fundamental e o perdão essencial para superá-los..

Desejamos o imediatismo em tudo. Se queremos tocar um violão não queremos estudar muito tempo para isso. Queremos aprender da noite para o dia, ou somente uma musiquinha para mostrar para os amigos.

Se fazemos um aplicação financeira, queremos que dê lucro o mais rápido possível, pois não temos tempo para espera o rendimento normal e muitas vezes tomamos atitudes imorais para isso (veja a atual crise financeira que nos encontramos). Não é difícil ver que assim também acontece no campo religioso.

Não nos preparamos e rechaçamos qualquer dificuldade que surja. Todavia para ter uma vida de intimidade com Deus é preciso uma constante vida de oração, mas para isso necessitamos de renunciar a outras ocupações, que por vezes podem ser mais prazerosas.
Não nos empenhamos na mortificação diária das paixões, pois isso nós custa um não a nossa carne para prevalecimento da vontade racional, porem é muito mais fácil deixar que nossos instintos e paixões nos controlem. Além do mais essa palavra, mortificação, causa tremores no homem moderno.

Por estes aspectos vemos que a humanidade de nossos dias não tem o comportamento de seres livres, apesar de toda a bandeira levantada a respeito.

Que ser humano pode se dizer livre se não consegue dizer não aos outros e a si mesmo quando necessário?

Que homem é realmente livre se não consegue dizer não ao adultério, levando em conta que fazendo a escolha do casamento escolhe estar com uma só mulher?

Que homem é livre quando não consegue dizer não a um copo de bebida alcoólica quando esta dirigindo, ou não consegue controlar a quantidade que não será nociva, para ele e para os outros?

Que homem pode se dizer livre quando se torna escravo de qualquer tipo de vício, seja químico ou emocional?

Que homem é livre quando não consegue dizer não ao ócio em meio a tarefas pendentes para realizar ou não consegue cumpri-las nas metas estabelecidas?

Quantas vezes eu e você nos fizemos prisioneiros da nossa própria carne que, sem o devido controle, nos limita como a âncora ao navio?

Esta é a razão de muitas das dificuldades que preenchem nossa sociedade. Como diz um amigo que infelizmente não conheço pessoalmente:
"A caveira quer descanso.(Referindo-se ao corpo que só quer a comodidade)" (frase do Sr. josé Helder de Souza Andrade - Diretor da Forbin - Formação de vigilantes - http://www.forbin.com.br/home/home.html).

Por isso é tão difícil ser Feliz, com F maiúsculo. Não a felicidade momentânea das bebidas nos bares ou da saída do fim de semana, essas também tem seu valor, mas a felicidade da verdadeira liberdade. liberdade de amar e ser amado.

Sabemos também que nenhuma felicidade deste mundo é plena. Quanto mais temos, mais conseguimos, mais juntamos, mais queremos. Isso mostra que nada neste mundo pode nos dar plenitude, nada pode preencher completamente o nosso coração.
Ninguém pode dizer que conseguiu tudo que quis, e se diz deve estar frustrado, porque sua vida não deve ter mais valor.
Esta eterna procura de preencher o coração, que parece não ter fundo, é a maior prova de que somos criados por Deus e para Deus, pois somente Ele pode ocupar este lugar. Somente algo eterno e infinito pode preencher a natural insatisfação humana, a natural imperfeição da criatura.

O que é imperfeito precisa e tende a perfeição. Tende a Deus.

A falta de uma vida baseada nas escolhas, muitas vezes definitivas, em Deus nos tonam a cada dia mais insatisfeitos e a insatisfação gradualmente nos consome. A satisfação também é gradual e só terá sua plenitude no Céu e ao longo de sua estrada deixa um rastro, uma pequena amostra da verdadeira felicidade.

Como diz a letra da música Hole Hearted da banda extreme: http://letras.terra.com.br/extreme/13440 (letra conseguida no site Terra)
http://www.youtube.com/watch?v=_69WxDsTSO8 ( Video Clip YouTube por deboramore01)

Rivers flow into the sea
Yet even the sea is not so full of me
If I´m not blind why can´t I see
That a circle can´t fit where a square should be

Até as coisas temporais só serão melhor aproveitadas dentro da liberdade que nos foi dada por Deus, sem abusos ou irresponsabilidades, liberdade esta que nos prende ao que realmente é importante, porque não pode um circulo ocupar o lugar de um quadrado. Não da para encher o nosso coração com coisas vãs.

0 comentários:

Postar um comentário

Apostolado Shemá
Seja nosso parceiro. Cole o código em seu blog.

VISITE TAMBÉM