ÚLTIMAS POSTAGENS

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Para você que é jovem

Por Arnaldo Siroma

Você é jovem e anda dizendo por ai que não conversa mais com seus pais, porque eles não sabem compreendê-lo.

Olhe, eu acho que é você que está construindo o muro da separação, é você que ergueu o arame farpado da incomunicação; e, agora, reclama, porque se sente ferido.

Você rompe todo diálogo com seus pais, porque sempre acha que “tem a razão”. É muita arrogância falar assim, porque imagino que seus pais, desde o ponto de vista deles, também tem “razões”.

Sabe, eu não vou falar, agora, em defesa de seus pais, porque é você, como filho, que deveria defendê-los. Você não pode lançar sua vida contra eles, sendo eles a origem de sua vida. Você gosta de viver, não gosta? Pois então meu amigo...

Acho você também muito exigente: quer tudo prontinho, na hora; quer a solução imediata de seus problemas, não sabe nem esperar um pouquinho, não tem a paciência de camponês que esperava o amadurecimento da colheita no tempo oportuno. Quando você quer uma coisa, tem que ser na mesma hora...

Você pede compreensão. Pois é; está bem. Mas, quantas vezes já teve a sensação de ser incompreendido por você mesmo? Quantas vezes tentou, sem conseguir, expressar e dizer tudo o que sente dentro de você? As vezes, é incapaz até de saber com certeza o que se passa no seu intimo... Então, com que direito exige que seus pais compreendam tudo o que lhe acontece?

Pensa que está sendo rejeitado, oprimido. Não é tanto assim, meu amigo. Será que você nunca fez a lista de todos os esforços e trabalhos que seus pais fizeram para você poder viver melhor? Você se lembra muito bem de algumas vezes que seus pais falaram”não”; mas, pelo que estou vendo, já se esqueceu de que eles falaram “sim”quase sempre.

Reclama, também, da falta de interesse pelos seus problemas. Está bem. Mas vamos com calma. Agora, me diga uma coisa: quando é que você se interessa, de verdade, pelos problemas de seus pais? Você já pensou que seus pais têm problemas?

Diz que não dedicam muito tempo; mas, quanto tempo você dedica para eles? Quantas vezes você sai de casa deixando com a mãe todo o serviço? Quanto tempo você passa ao lado deles? Tenho a dizer em favor deles: já dedicaram muitos anos de trabalho por sua causa, isso sem contar as muitas horas pacientes que lhe dedicaram, quando você era muito pequeno e não sabia andar, quando ficou doente, etc... Melhor não fazer contabilidade, porque eles fizeram tudo isso de graça, por amor. Você, no entanto, guarda todo o seu tempo, com avareza, para você e seus amigos.

Denuncia que os pais não sabem “compreender”, que são quadrados. Porém, eu desafio, e me pergunto: será isso verdade, ou você anda repetindo essa desculpa porque todos os jovens reclamam a mesma coisa, talvez para poder defender-se, jogando a responsabilidade sobre os pais? Eu acho que falam isso apenas porque seus pais não lhe concedem a razão. Isso não está certo. É covardia!...

Vou acusar você de mentir... sim, de mentir, de ocultar a verdade, de falar só as metades das coisas, só o que lhe convêm. Muitas vezes, não é sincero, não diz para eles onde esteve, o que fez; oculta quase tudo, vive independente demais. Chamo a isso de pouco respeito e atenção com eles. Não tente justificar-se, porque a falsidade não se justifica. É difícil reconhecer os próprios erros, não acha?

E tem mais... Eu não sei se o que estou pensando tem a ver com alguma coisa com você... porque, se assim for,... sinto pena de você. Penso, com tristeza, nos jovens como você, que amedrontam os pais e criam confusão, e fazem chantagem e até ameaçam. Acho o maior absurdo explorar o amor dos pais, que dariam tudo pelos filhos, mesmo que eles tenham muitos e graves defeitos. E ainda têm jovens que ridicularizam os pais, pelo fato de não terem cultura, ou por serem desempregados ou velhinhos. Quem faz isso, não é filho, é tudo menos filho!!!

Sabe, eu não reclamo da rebeldia da juventude, não. Eu sei que o jovem deve ser livre, e acho isso muito bom. É natural que ele tenha o direito de decidir, de julgar, de criticar. Acho bom ser um pouco rebelde, mas desde que seja contra a sociedade que nos oprime a todos; nunca com os próprios pais. Sabe por que? Olhe bem, porque eles também são vitimas dessa sociedade que nunca lhe deu oportunidades, nem cultura, nem um salário folgado, nem um tempo livre para desfrutar da vida como você gosta de desfrutar. Muito pelo contrario, eles sabem bastante de sofrimento, de luta, de cansaço... Mesmo assim, tiveram a coragem de dar a vida a você. Portanto, não reclame tanto deles, meu amigo, porque você também está dominado por essa sociedade. Você também está preso e não sabe como fugir.

Nunca ouviu dizer que, para entender bem uma pessoa, é preciso conhecê-la bem e colocar-se no lugar dela? Você conhece, realmente, seus pais, sua vida, preocupações atuais, seus sentimentos íntimos? Qual foi a ultima vez que olhou nos olhos de seus pais e disse que os amava? Você sabe realmente qual a cor dos olhos de seus pais? Será que você algum dia olhou dentro dos olhos de seus pais? Será que você conhece verdadeiramente o que eles querem de você?

Você entra e sai de casa com tanta pressa... que não tem tempo para parar um pouquinho, para dialogar. É tão importante, hoje em dia, saber dialogar na família. Mas você deixa de lado... Sempre tem muitas coisas “importantes” para fazer fora de casa. É uma pena, não tem tempo para a melhor coisa que você tem no mundo, para seus pais. E nessa história, eu suspeito que a maior parte da culpa é sua. Apesar de tudo, eu acredito na comunicação e também na família, desde que cada membro descubra o verdadeiro valor dos outros e coloque seu pequeno grão de areia para construir o que chamamos de “comunidade familiar”.

Para terminar, eu também quero pedir desculpas. Sabe, eu sei que, às vezes, sou um pouco agressivo. É verdade. Mas gosto de falar as coisas como penso e sinto, de encarar os problemas seriamente. Acho que, se você fosse também um pouco agressivo e exigente consigo mesmo, poderia superar muitas dificuldades, sem largar a culpa sobre os outros e sem criar tanto problema na família. E seria muito mais feliz. Disso eu tenho certeza.




1 comentários:

  1. Ahauhauahuahu agressivo??Nem tanto hehe...isso nao tem mto haver comigo mas serve pra muitos jovens de hj em diia.

    A paz!

    ResponderExcluir

Apostolado Shemá
Seja nosso parceiro. Cole o código em seu blog.

VISITE TAMBÉM