ÚLTIMAS POSTAGENS

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

A virtude da Humildade

Por Izabel Ribeiro Filipi

Algo tão cobrado de nós, mas que conhecemos e vivemos tão pouco!
A humildade é um gesto profundamente cristão. A Igreja nos ensina que ela está intimamente ligada com a pobreza em espírito. "Bem-aventurados os pobres em espírito" (Mt 5,3) Isso porque a humildade requer renúncia. Renúncia não apenas a apego a bens materiais, mas ao apego a cargos, status, conveniências do mundo, poder...
Cristo, sendo Deus, sendo o Filho, Onipotente, fez-se homem, sofreu, serviu, morreu numa Cruz...
Sobre isso, peço que leiam, e reflitam, a passagem abaixo:

Tende um mesmo amor, uma só alma e os mesmos pensamentos. Nada façais por espírito de partido ou vanglória, mas que a humildade vos ensine a considerar os outros superiores a vós mesmos. Cada qual tenha em vista não os seus próprios interesses, e sim os dos outros. Dedicai-vos mutuamente a estima que se deve em Cristo Jesus. Sendo ele de condição divina, não se prevaleceu de sua igualdade com Deus, mas aniquilou-se a si mesmo, assumindo a condição de escravo e assemelhando-se aos homens. E, sendo exteriormente reconhecido como homem, humilhou-se ainda mais, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz. Por isso Deus o exaltou soberanamente e lhe outorgou o nome que está acima de todos os nomes, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho no céu, na terra e nos infernos. Fl 2,2-10

Que quis Paulo nos mostrar com isso? Que pedia, senão que seguíssemos os passos de Cristo, e que nos esforçássemos para imita-Lo em tudo?
É apenas por este caminho, e por nenhum outro, que nos aproximaremos de Deus. Se Cristo se humilhou diante de nós, serviu, foi obediente, amou até o fim, para que pudéssemos ser salvos, não há outra maneira senão esta mesma para chegarmos até Ele.
A humildade é virtude necessária para aquele que se coloca diante de Deus. “Pois todo o que se exaltar será humilhado, e quem se humilhar será exaltado.” Lc 18,14 Por isso, é impossível chegar até Ele sem nos fazermos últimos em tudo. Últimos para o mundo e para os valores do mundo, jamais para Cristo!

Neste mesmo sentido, a Igreja nos ensina que a humildade é uma virtude essencial na oração. É na oração que nos colocamos diante de Deus. “A oração é a elevação da alma a Deus ou o pedido a Deus dos bens convenientes. De onde falamos nós, ao rezar? Das alturas de nosso orgulho e vontade própria, ou das "profundezas" (Sl 130,1) de um coração humilde e contrito? Quem se humilha será exaltado. A humildade é o fundamento da oração. "Nem sabemos o que seja conveniente pedir" (Rm 8,26). A humildade é a disposição para receber gratuitamente o dom da oração; o homem é um mendigo de Deus” (Catecismo da Igreja Católica, 2559)

Na relação com Deus e, através dEle, com o próximo, muitas são as atitudes e posições humildes que precisaremos tomar em nossa caminhada. O perdão, e o pedido de perdão, é um ato de profunda humildade, pois aquele que perdoa o erro alheio e pede perdão pelos seus se reconhece como nada diante da Grandeza que é Nosso Senhor. Quando perdoamos, damos testemunho do amor de Deus, porque ninguém mais que Ele perdoou. Ele nos perdoa sempre que nos colocamos diante dEle com coração contrito e buscamos, através da Confissão, reconciliamo-nos com Ele. Aliás, vejo no próprio sacramento da reconciliação um profundo ato de humildade, pois nos reconhecemos pecadores diante de um homem (que está em nome de Cristo, mas um homem), diante da Igreja, diante de Deus emana da obediência de Cristo! Cristo foi obediente ao Pai. Por mais que sofresse, por maior que fosse a agonia diante da Cruz, Ele foi até o fim... Que posso dizer de nós, pobres pecadores, que sequer sabemos o que fazemos se não estamos com Ele? Por isso a obediente manifesta esta humildade, que vem de nos reconhecermos criaturas, filhos... Vem do reconhecimento que nada somos e nada sabemos, e que Ele tudo sabe. Esta obediência se estende à Igreja, pois é através dela que Cristo se faz presente no meio de nós. Se nos colocamos nos braços de Deus, confiaremos na Igreja, porque teremos a certeza que é Cristo que a guia.

Por fim, lembro da humildade que nos faz professar a fé em Cristo! Se não o aceitamos como Deus, se preferimos deixa-Lo guardado num canto qualquer, não pode haver humildade dentro de nós. A verdadeira humildade nos leva a querer professar a Verdade daquele que é Senhor, Rei! Qualquer outra coisa vem de homens. Qualquer outra coisa apenas demonstrará que nos apagamos primeiro a coisas passageiras antes de nos apegarmos ao Eterno, e o apego às coisas do mundo, como já citei no início, é falta de humildade em si mesmo.

Precisamos ainda constantemente aprender a ser humildes... Aprendemos com Cristo, com os inúmeros exemplos deixados por seus santos. Ele nos deu o exemplo. Ele é a Palavra, e não há outra a ser dita.

0 comentários:

Postar um comentário

Apostolado Shemá
Seja nosso parceiro. Cole o código em seu blog.

VISITE TAMBÉM